close
Ecotrophelia Portugal, Media, Press Release, Vencedores do Prémio ECOTROPHELIA Portugal 2021

Vencedores do Prémio ECOTROPHELIA Portugal 2021

Baguitas – uma bolacha crocante com farinha de bagaço de uva, mel nacional e frutos secos, rica em fibra – é o vencedor nacional da quinta edição do Prémio ECOTROPHELIA Portugal.

Esta é a equipa que representará Portugal na competição europeia ECOTROPHELIA 2021, que terá lugar no dia 11 de outubro, em Colónia na Alemanha. O Prémio ECOTROPHELIA Portugal 2021, promovido pela PortugalFoods, pretende identificar e distinguir projetos criados por jovens universitários que tenham a capacidade de tornar o setor agroalimentar mais inovador, sustentável e competitivo.

Comunicado de Imprensa

Realizou-se ao final da tarde de 29 de junho, na Casa do Vinho Verde, no Porto, a cerimónia de entrega de prémios da 5ª edição do Prémio ECOTROPHELIA Portugal 2021.
O concurso encontrou o seu vencedor, numa cerimónia onde os 10 finalistas – Baguitas, Beanlce, Legumiscas, MochiPortugal, Molitaste, NORTEGGIE, os Togrões, Patalgas, Pro-Ómega e Ribeirinha D’Ouro – tiveram oportunidade de apresentar e defender os seus produtos junto do Júri ECOTROPHELIA Portugal 2021.

Baguitas (bolacha crocante com farinha de bagaço de uva, mel nacional e frutos secos, rica em fibra), foi o grande vencedor da edição de 2021, seguido por Molitaste (snack saudável, saboroso e sustentável, com farinhas de inseto e de trigo sarraceno) e MochiPortugal (massa de arroz glutinoso com recheio de gelado de castanha salgada e núcleo de geleia de marmelo) que venceram respetivamente os 2º e 3º lugares desta competição. Os vencedores do primeiro lugar do Prémio ECOTROPHELIA Portugal 2021 conquistaram também a distinção “Born From Knowledge”, atribuída pela ANI – Agência Nacional de Inovação.

Ana Gomes, representante da Universidade Católica Portuguesa no Conselho de Administração da PortugalFoods, destaca a importância da realização do ECOTROPHELIA em Portugal e reforça que “apoiar este prémio é apoiar a internacionalização, que é uma das nossas missões, e que tem na sua base o conhecimento, que começa nas universidades pela mão dos nossos jovens estudantes que, com a sua inspiração e dedicação, têm sido capazes de criar produtos que geram valor acrescentado, alinhados com as novas tendências, que incluem por exemplo a procura por um maior equilíbrio emocional até a um maior impacto sensorial e, também, um dos grandes vetores deste prémio, que é a sustentabilidade, com a redução do desperdício, a utilização na integra da matéria-prima da produção nacional. Associando-se a este prémio, a PortugalFoods está a constituir uma plataforma de eco-inovação juntando todos os agentes que podem trazer valor para o setor agroalimentar, nomeadamente, academia, indústria e empresas”.

Para Deolinda Silva, diretora-executiva da PortugalFoods, “esta iniciativa deve ser acarinhada na medida em que reflete o ecossistema de inovação agroalimentar em Portugal, desde os estudantes, os seus mentores, cientistas e investigadores, até à indústria e às empresas. O caminho dos novos produtos, até chegarem ao mercado, é exigente e requer empenho, dedicação e trabalho, uma vez que o que se pretende com esta iniciativa é valorizar economicamente o conhecimento. Acreditamos que este caminho permitirá que alguns dos produtos desenvolvidos no âmbito do ECOTROPHELIA Portugal possam chegar ao mercado”.

O júri do ECOTROPHELIA Portugal 2021 é constituído por 12 figuras representativas do setor agroalimentar e especialistas em inovação alimentar, reconhecidos pela sua notoriedade, independência e competência, nomeadamente, Vergílio Folhadela (RAR Holding), Ana Machado Silva (SONAE), Fátima Carvalho (Primor), Helena Real (APN), Ildefonso Martins (Aveleda), Joana Gomes Queirós (Super Bock Group), Lorenzo Pastrana (INL), Miguel Antunes (ANI), Paula Bico (DGAV), Pilar Morais (Frulact), Rui Costa Lima (Sense Test) e Rui Sousa (Market Access).

A quinta edição do ECOTROPHELIA, em Portugal, reuniu candidaturas de norte a sul do país, encontrando-se entre as várias instituições de ensino que participaram, e que representam as equipas finalistas, a Escola Superior de Artes e Design, a Escola Superior de Biotecnologia –Universidade Católica Portuguesa, a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, o Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, o Instituto Superior de Administração e Gestão, a Universidade de Aveiro, a Universidade do Minho e a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

Os vencedores do ECOTROPHELIA Portugal 2021 juntar-se-ão agora aos pares europeus para a grande final da competição europeia ECOTROPHELIA 2021, que terá lugar no dia 11 de outubro, em Colónia, na Alemanha, no âmbito do maior evento mundial do setor – a Anuga. Esta foi a quinta edição do ECOTROPHELIA em Portugal e decorreu com o apoio de várias entidades do setor agroalimentar.

Dinamizada pela PortugalFoods a nível nacional, desde o lançamento da primeira edição, em 2017, esta iniciativa pretende continuar a destacar o reconhecimento do esforço que o setor agroalimentar tem feito no sentido de se aproximar das universidades e dos centros de conhecimento e inovação, estreitando relações, criando valor e evidenciando que o setor está a preparar o futuro.

A edição de 2020 do Prémio ECOTROPHELIA teve especial relevância para Portugal, uma vez que o projeto vencedor do concurso a nível nacional foi também o grande premiado europeu – entre os 13 países que estiveram a concurso. OrangeBee – o preparado fermentado desenvolvido por duas alunas da Universidade de Aveiro – foi o grande vencedor da 13ª edição do ECOTROPHELIA Europe, elevando o conhecimento, a capacidade de inovação, o empreendedorismo e a capacidade competitiva do setor agroalimentar nacionais a nível europeu.

Download Press-Release (.pdf)

Apoio Institucional:
Parceiros: